Ambiente destinado a liberdade de expressão sobre os mais variados assuntos.

Ora, destruídos os fundamentos, que poderá fazer o justo?
Salmo 11:3

Porque nada podemos contra a verdade, senão em favor da própria verdade.
2 Coríntios 13:8








quarta-feira, 23 de dezembro de 2009



Prestem bastante atenção nesta notícia. O Deputado Federal pelo PT do Paraná, Dr. Rosinha (Florisvaldo Fier) apresentou projeto de lei para que, toda vez que a bandeira nacional for hasteada, deverá ser hasteada a bandeira do MERCOSUL na mesma altura. O que parece apenas um simbolismo sem grandes proporções aponta com gravidade a natureza ideológica globalista.
Já aprovado, aguardando apenas a assinatura do presidente, a desastrosa proposta do Deputado Dr. Rosinha, diminui a soberania nacional, colocando no mesmo pé de igualdade o Estado Soberano do Brasil com o último acordo financeiro firmado.
Não se enganem! Nosso ilustre governo já encara o MERCOSUL como um Estado de fato.
Um absurdo legislativo e mais uma prova da subserviência e da pobreza de caráter do legislativo brasileiro.
O que de bom pode vir do PT? Perigoso futuro. Anotem...

sábado, 12 de dezembro de 2009

Lidando com as rachaduras familiares

Esta semana li um artigo do Dr. David W. Smith, conhecido na área de aconselhamento bíblico, intitulado “Lidando com as Rachaduras. E em seu artigo, ele alerta para algumas tragédias que fazem parte da vida de todas as famílias, especialmente entre o marido e a esposa. Segundo ele, “o pecado é capaz de rachar um relacionamento ou de causar uma lenta erosão. “A traição de um adultério pode rachar um casamento repentinamente, mas o sarcasmo, a falta de gratidão, o espírito crítico, as acusações falsas, as datas pessoais esquecidas e palavras ásperas constantes podem sugar a vida do casamento.” (David W. Smith)
Tal preocupação é real. Somos pessoas redimidas do pecado, mas ainda somos pecadores. Somente deixaremos de ser pecadores quando Cristo nos revestir de incorruptibilidade (1 Cor. 15:53).
Precisamos tomar uma decisão muito séria diante da Palavra do Senhor. A Bíblia diz que fomos criados para a glória de Deus (Isaías 43:7), entretanto, muitos buscam somente a própria satisfação pessoal.
A família tem sido profundamente atacada nas últimas décadas. A igreja enfrenta o grave problema da diminuição da importância da família. Satanás continua tentando destruir o projeto de Deus e, lamentavelmente, muitos crentes ainda não entenderam que precisam se posicionar de uma vez por todas. E esse posicionamento é ao lado daquele que nos concedeu salvação e graça benditas, a saber, Jesus Cristo, por meio de sua Palavra!
O perdão, uma das grandes marcas do cristianismo, precisa ser praticado com urgência entre os casais da igreja cristã. O reconhecimento do pecado e sua confissão são fundamentais para que haja restauração do coração e, assim, as rachaduras provocadas pelo pecado serão corrigidas pela atuação da graça de Deus.
Perdão pressupõe um comportamento inadequado. Envolve um ofensor e um ofendido. E se houver acumulo das rachaduras, o casamento ruirá. Entretanto, Deus tem reservado para Seu povo “um caminho sobremodo excelente”. E o caminho do perdão será suficiente para corrigir as rachaduras provocadas pelo pecado.
Que as rachaduras promovidas pelo pecado sejam devidamente tratadas. E a melhor maneira de cuidar deste mal é ter uma vida mais santa diante de Deus e mais fidelidade a sua Palavra.
A Palavra de Deus é enfática: “Santificai-vos, porque amanhã o SENHOR fará maravilhas no meio de vós.” (Josué 3:5)

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

O que também me incomoda no PT

O texto que segue logo abaixo é parte de um texto encontrado no blog do Reinaldo Azevedo. O link é esse: http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/querem-comparar-governos-entao-vamos-civilizar-os-botocudos/


"- O que me incomoda no PT é seu ódio mal disfarçado à democracia, daí que viva tentando solapá-la — agora, o partido quer uma Constituinte para fazer a reforma política.

- O que me incomoda no PT é a moral que cria para si mesmo e a moral que defende para os outros — a exemplo de Dilma, anteontem, na festa dos mensaleiros do PT a atacar o mensalão de Arruda.

- O que me incomoda no PT é esse esforço para fazer tabula rasa do passado, destruindo a reputação de qualquer pessoa que não seja útil a seu projeto — a exemplo do que faz com a monumental conquista que foi o Plano Real.

- O que me incomoda no PT é o seu apoio dedicado a todos os vigaristas do planeta,— a exemplo de Mahmoud Ahmadinejad.

- O que me incomoda no PT é a sua admissão prática de que o crime compensa ou é aceitável desde que esteja ancorado numa causa de suposto alcance social — a exemplo de seu asqueroso conluio com o MST.

- O que me incomoda no PT é seu esforço permanente para substituir a sociedade pelo partido, imiscuindo-se em eleições sindicais de trabalhadores e patrões, nos fundos de pensão, na direção das estatais, nas ONGs e, se você deixar, no batizado de seus filhos.

- O que me incomoda no PT, a despeito de seus “universitários”, é a apologia permanente da ignorância, do obscurantismo militante, da barbárie das ruas."

Grande abraço.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Mais uma dos “iluminados da esquerda”.



A simpatia que alguns parlamentares acalentam pela criminalidade chega a ser patológica. Vejamos: O Cesare Battisti foi condenado em seu país, seguindo todos os trâmites legais. Somente o Ministro Tarso Genro insiste em dizer que não. E, para uma desagradável surpresa, eis que encontro esta pérola da solidariedade esquerdista no site de notícias Bol informando que “Senadores e deputados visitam o ex-ativista político italiano Cesare Battisti, no presídio da Papuda, em Brasília; o italiano afirmou hoje à Ansa que "ainda tem muita confiança" no presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que poderá ter a oportunidade de ratificar ou não o refúgio concedido a ele pelo governo brasileiro no início do ano.” É bom mencionar novamente que Cesare Battisti “é condenado à prisão perpétua por quatro homicídios ocorridos no fim da década de 1970, quando era membro da organização de esquerda Proletários Armados pelo Comunismo.” Veja os nomes dos “iluminados” da solidariedade que deram apoio ao Cesare: “José Nery (PSOL-PA), organizador do encontro, Eduardo Suplicy (PT-SP) e João Pedro (PT-AM), e os deputados Luis Couto (PT-PB), Ivan Valente (PSOL-SP) e Chico Alencar (PSOL-RJ), entre outros.”
Para muitos, Cesare Battisti é um herói! Herói porque defendeu a causa solialista. Mesmo que as custas de gente inocente. Aqui, estão cassando os militares que participaram da repressão contra os revolucionários como verdadeiros criminosos. Na Argentina já estão sendo processados.
Quando os humilhados e perseguidos de verdade passaram por aqui, como no caso dos boxeadores cubanos, foram escorraçados pelo mesmo cidadão que hoje defende o criminoso. E não me lembro de nenhum destes parlamentares defenderem o direito de asilo para os cubanos. Nem passeatas, nem Direitos Humanos, nem a UNE, absolutamente nada! Afinal, os cubanos cometeram o crime de jamais lutarem pela causa revolucionária, jamais pegaram em armas. Isso parece ser mesmo um crime.
E para finalizar, os leitores acham sinceramente que um grupo que se autodenomina “Proletários Armados pelo Comunismo” se reuniam para tomar chá? Não leram direito...? Vou repetir: Proletários ARMADOS pelo Comunismo.
Pelo comunismo tudo pode. Matar, roubar e destruir, e inclusive se associar a Judas Iscariotes!

Sobrevivente de um aborto - Parte 2




Segue aí a sequência do vídeo.
Abração a todos!

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Sobre a nova Redação do PL 122/2006


Acabei de ler as mudanças no Projeto de Lei da Câmara nº 122, de 2006 (substitutivo) proposto pela senadora petista Fátima Cleide.
Ela garante que agora “Não é possível que essa proposta continue parada com o novo texto. Se isso ocorrer, a sociedade pode falar com tranqüilidade que o Congresso é homofóbico”.
Com isso, ela tenta vender a idéia de que o projeto foi alterado para amenizar as críticas do segmento religioso. Entretanto, tamanho o cinismo tanto do projeto quanto da suposta mudança demonstra claramente as intenções de amordaçar qualquer crítica, pois, a própria senadora informa sobre o conteúdo da mudança. Diz a senadora: “O projeto foi encurtado, mas não perde em nada na aplicabilidade e garantia dos direitos de quem sofre preconceito”. Prestaram atenção. Apesar da suposta mudança, o projeto não perde em nada na APLICABILIDADE a que se propõe.
Vi uma entrevista em que um dos defensores do PL 122/2006 afirmou que o projeto passou pelo Congresso somente porque não tinha quase ninguém! Ou seja, não é um projeto de anseio nacional. Seu objetivo não visa o bem de todos. É espúrio em seu nascedouro.
E mais, incluíram agora os idosos e portadores de deficiência física. Como é possível isso se o projeto visa o grupo GLBT? E para piorar ainda mais, continua no projeto a expressão “gênero”, mais um termo completamente distorcido pelos defensores do PL 122.
O absurdo de tal movimento é a tentativa de amputar da democracia o direito da liberdade de expressão.
Querem ter o “privilégio” de ditar o que pode e o que não pode. Por aqui, disseram que jamais usariam o direito de expressão para invadir igrejas ou coisa semelhante. Entretanto, nos EUA, inúmeros casos de pessoas invadindo igrejas e afrontando os fiéis se beijando como um verdadeiro espetáculo, desrespeitando a igreja, seus valores e os que ali estavam começaram a acontecer. E ninguém poderia fazer absolutamente nada!
A luta deveria ser em razão da vida e da preservação de todo ser humano. Entretanto o que vemos em tais movimentos é uma luta pelo direito do desejo e do prazer.
Finalizando, a nova redação não alterou em nada as intenções da antiga redação, apenas e simplesmente sintetizou as idéias de intolerância contra os que pensam diferentes.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

A África às avessas

Quero compartilhar com os leitores do blog o excelente texto de Olavo de Carvalho. Boa leitura!

O terceiromundismo, que foi uma invenção de Stálin, acabou por se tornar - e é até hoje - uma das fontes maiores da autoridade do espírito revolucionário, instilando na alma da civilização ocidental um complexo de culpa inextinguível e obtendo dele toda sorte de lucros morais, políticos e financeiros. Subscrita pelos organismos internacionais, alimentada por fundações bilionárias e várias dúzias de governos, trombeteada por incansáveis tagarelas como Noam Chomsky e Edwaid Said, entronizada como doutrina oficial por toda a grande mídia da Europa e dos EUA, essa ideologia toda feita de mendacidade oportunista acabou por se impregnar tão profundamente na opinião pública que qualquer tentativa de contestá-la, mesmo em tom neutro e acadêmico, vale hoje como prova inequívoca de "racismo".
Um de seus dogmas principais é justamente a acusação de racismo, atirada genericamente ao rosto de toda a cristandade por incontáveis exércitos de intelectuais ativistas e, nas últimas décadas, por todos os porta-vozes do radicalismo islâmico. Imbuído da crença na inferioridade congênita dos negros, o homem branco europeu teria sido, segundo essa doutrina, o escravagista por excelência, dizimando a população africana e financiando, com a desgraça do continente negro, a Revolução Industrial que enriqueceu o Ocidente.
Tudo, nessa teoria, é mentira. A começar pela inversão da cronologia. Os europeus só chegaram à África por volta da metade do século XV. Muito antes disso o desprezo racista pelos negros era senso comum entre os árabes, como se vê pela palavra de alguns de seus mais destacados intelectuais. Extraio estes exemplos do livro de Bernard Lugan, Afrique, l'Histoire à l'Endroit (Paris, Perrin, 1989):
Ibn Khaldun, o historiador tunisino (1332-1406), assegura que, se os sudaneses são caracterizados pela "leviandade e inconstância", nas regiões mais ao sul "só encontramos homens mais próximos dos animais que de um ser inteligente. Eles vivem em lugares selvagens e grutas, comem ervas e grãos crus e, às vezes, comem-se uns aos outros. Não podemos considerá-los seres humanos".
O escritor egípcio Al-Abshihi (1388-1446) pergunta: "Que pode haver de mais vil, de mais ruim do que os escravos negros? Quanto aos mulatos, seja bom com eles todos os dias da sua vida e de todas as maneiras possíveis, e eles não lhe terão a menor gratidão: será como se você nada tivesse feito por eles. Quanto melhor você os tratar, mais eles se mostrarão insolentes; mas, se você os maltratar, eles mostrarão humildade e submissão."
Iyad Al-Sabti (1083-1149) escreve que os negros são "de todos os homens, os mais corruptos e os mais dados à procriação. Sua vida é como a dos animais. Não se interessam por nenhum assunto do mundo, exceto comida e mulheres. Fora disso, nada lhes merece a atenção."
Ibn Butlan, reconhecendo que as mulheres negras têm o senso do ritmo e resistência para os trabalhos pesados, observa: "Mas não se pode obter nenhum prazer com elas, tal o odor das suas axilas e a rudeza do seu corpo".
Em contrapartida, teorias que afirmavam a inferioridade racial dos negros não se disseminaram na Europa culta senão a partir do século XVIII (cf. Eric Voegelin, The History of the Race Idea. From Ray to Carus, vol. III das Collected Works, Baton Rouge, Louisiana State University Press, 1998). Ou seja: os europeus de classe letrada tornaram-se racistas quase ao mesmo tempo em que o tráfico declinava e em que eclodiam os movimentos abolicionistas, dos quais não há equivalente no mundo árabe, de vez que a escravidão é permitida pela religião islâmica e ninguém ousaria bater de frente num mandamento corânico.
O racismo antinegro é pura criação árabe e, na Europa, não contribuiu em nada para fomentar o tráfico negreiro.
Característica inversão do tempo histórico é o estereótipo, universalmente aceito, do colonialista europeu invadindo a África com um crucifixo na mão, decidido a impor a populações inermes a religião dos brancos. O cristianismo foi religião de negros muito antes de ser religião de brancos europeus. Havia igrejas na Etiópia no tempo em que os ingleses ainda eram bárbaros pagãos. Mais de mil anos antes das grandes navegações, era na África que estavam os reinos cristãos mais antigos do mundo, alguns bastante cultos e prósperos. Foram os árabes que os destruíram, na sanha de tudo islamizar à força. Boa parte da região que vai desde o Marrocos, a Líbia, a Argélia e o Egito até o Sudão e a Etiópia era cristã até que os muçulmanos chegaram, queimaram as igrejas e venderam os cristãos como escravos. Quatro quintos do prestígio das lendas terceiromundistas repousam na ocultação desse fato.
À inversão da cronologia soma-se, como invariavelmente acontece no discurso revolucionário, a da responsabilidade moral. Não é nem necessário dizer que a fúria verbal dos árabes de hoje contra a "civilização cristã escravagista" é pura culpa projetada: se os europeus trouxeram para as Américas algo entre doze e quinze milhões de escravos, os mercadores árabes levaram para os países islâmicos aproximadamente outro tanto, com três diferenças: (1) foram eles que os aprisionaram - coisa que os europeus nunca fizeram, exceto em Angola e por breve tempo -; (2) castraram pelo menos dez por cento deles, costume desconhecido entre os traficantes europeus; (3) continuaram praticando o tráfico de escravos até o século XX. O escravagismo árabe foi assunto proibido por muito tempo, mas o tabu pode-se considerar rompido desde que a editora Gallimard, a mais prestigiosa da Franca, consentiu em publicar o excelente estudo do autor africano Tidiane N'Diaye, Le Genocide Voilé (2008), que comentarei outro dia.
Mas não são só os árabes que têm culpas a esconder por trás de um discurso de acusação indignada. A escravidão era norma geral na África muito antes da chegada deles, e hoje sabe-se que a maior parte dos escravos capturados eram vendidos no mercado interno, só uma parcela menor sendo levada ao exterior. Quando os apologistas da civilização africana enaltecem os grandes reinos negros de outrora, geralmente se omitem de mencionar que esses Estados (especialmente Benin, Dahomey, Ashanti e Oyo) deveram sua prosperidade ao tráfico de escravos, do qual sua economia dependia por completo. Especialmente o reino de Oyo, escreve Lugan, "desenvolveu um notável imperialismo militar desde fins do século XVII, buscando atingir o oceano para estabelecer contatos diretos com os brancos. Já antes disso, a força guerreira de Oyo, especialmente sua cavalaria, permitia uma abundante colheita de escravos que ela aprisionava ao sul, entre os Yoruba, e no norte entre os Bariba e os Nupê. Tradicionalmente, os numerosos cativos tornavam-se escravos no seio da sociedade dos vencedores. Com a aparição do tráfico europeu, uma parte - mas só uma parte - foi encaminhada ao litoral."
Num próximo artigo mostrarei mais algumas inversões prodigiosas que o discurso terceiromundista opera na história da escravidão africana

Extraído na íntegra do excelente site olavodecarvalho.org.br

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Uma triste realidade.


Olá leitores deste blog... Desculpe pela ausência de novos textos. Procurarei dar mais atenção ao blog e nas próximas semanas, novos textos serão postados. Grande abraço a todos.
Segue abaixo, novo texto.

Na última edição da revista Comunhão, uma das principais matérias era o resultado de uma pesquisa encomendada pela própria revista para identificar comportamentos e preferências sobre consumo.
A pesquisa além de identificar preferências de consumo, identificou uma lamentável realidade: a fragilidade da fé. E eu explico isso. Na escalada do crescimento evangélico no ES (hoje em torno de 1.562.698) não se percebe na mesma proporção o amadurecimento do povo evangélico. As divisões de igrejas, as crendices e superstições, o avanço de verdadeiros impérios financeiros, e, especialmente o abandono da única regra de fé e prática, a Palavra de Deus, mostram um cenário nada animador.
Vejamos isso em números e entenderemos melhor o quadro geral. Quando as pessoas foram perguntadas sobre “O que mais gosta na sua igreja”, aqui na Serra, 40,80% responderam que gostam do louvor e apenas 20,90% responderam que gostam das mensagens, 13,73% disseram que gostam do culto e apenas 2,94% gostam de Deus ou Jesus. E antes que alguém diga que 20,90% é um bom número, vejamos outra pergunta: “Você já leu a Bíblia toda?”, apenas 20,40% disseram que sim e 79,10% disseram não.
Animados estão os comerciantes que vendem seus produtos a um povo imaturo, pragmático e consumista. Não estão preocupados com a verdade bíblica, mas em satisfazer os desejos do coração, sejam eles legitimados pela Escritura Sagrada ou não.
Não é por acaso que nos deparamos frequentemente com tantos problemas, com tantos erros doutrinários, com tantos escândalos dos bastidores, com tantos ídolos evangélicos seduzindo o povo. Não é por acaso que há tantas pessoas nas igrejas adorando um deus criado em seus corações corruptos. Não estão interessados em sua Palavra, e, portanto, não sabem o que significa as palavras do salmista: “Quanto amo tua lei! É a minha meditação todo dia.” (Salmo. 119. 97)
Com estes números, constatamos que o desafio não é somente pregar a Palavra aos que nunca ouviram, antes, é preciso evangelizar os que já estão nas igrejas para que retornem para as orientações seguras da Palavra de Deus. Lembro-me perfeitamente quando discutia com uma pessoa sobre mais uma heresia do modismo gospel. Num dado momento, argumentei da seguinte maneira: “mas a Palavra de Deus diz o contrário do que você está defendendo”. A resposta foi: “prefiro seguir meu coração!”. Esta é triste realidade do momento. Crentes que seguem somente o coração. São senhores de si mesmos.
Não seja você mais um a dizer que seguirá o seu coração! Diga como o salmista meditando sobre a Lei do Senhor: “Além disso, por eles se admoesta o teu servo; em os guardar, há grande recompensa. (Salmo 19.11). E não há recompensa maior do que conhecer o Deus Altíssimo!
Deus nos ajude!

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Mais uma página negra da esquerda.

O jornalista Jerônimo Teixeira fez uma excelente reportagem sobre o livro “Elza, a Garota” do autor mineiro Sérgio Rodrigues. O livro conta a história de uma garota chamada Elza, 16 anos, assassinada pela esquerda revolucionária a mando de um “ilustre” ícone da esquerda, Luiz Carlos Prestes.

A garota Elza foi condenada a morte pela esquerda por suspeitar de que ela, Elza de 16 anos, era uma espiã. Elza foi estrangulada com uma corda de varal e enterrada no quintal. Mesmo que fosse uma espiã, tinha apenas 16 anos.

Fala-se muito sobre os porões da ditadura. Pouco se fala sobre a podridão da esquerda nestas últimas décadas.

Ainda bem que livros, mesmo que imensamente desproporcionais aos editados em defesa da esquerda, sejam publicados corajosamente neste País dominado pelo engano, pelo erro e pela exaltação de figuras ilusórias alçadas a ícone.

Fica então a dica de leitura para aqueles que ainda se enganam e se alimentam do erro esquerdista ou revolucionário (o que no fundo é a mesma coisa – mudaram algumas expressões para confundir; eufemismo barato): O Livro Negro do Comunismo – Stéphane Courtuois; A verdade sufocada – Carlos Alberto Brilhante Ustra; A Revolução Gramscista – Sérgio Augusto de Avellar Coutinho.

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Contradição no discurso feminista

videoVejam atentamente a explicação da feminista quando questionada sobre a vida dos que serão abortados! Simplesmente deplorável!!!!!!

terça-feira, 28 de abril de 2009

O Declínio da Doutrina da Soberania de Deus!


O Declínio da Doutrina da Soberania de Deus!

Ano passado assisti uma entrevista com uma cantora muito famosa da musica popular brasileira que havia se convertido a Cristo. Num momento muito inusitado da entrevista, o apresentador dissera que estava com um problema físico e então, a cantora disse que era para ele orar a Deus pela cura. O Entrevistador então disse que talvez Deus não quisesse curá-lo. Eis então a resposta da “intrépida” cantora: “tira ele do trono que ele vai curar você”.
Há uma estranha forma dos evangélicos se relacionarem com Deus muito comum em nossos dias onde a doutrina da Soberania de Deus está sendo vilipendiada por aqueles que deveriam considerá-la maravilhosa!
Além de expressões como “tira ele do trono” ou “exija de Deus”, ou ainda, “não aceito isso!” refletem uma triste e preocupante realidade. Há pessoas que estão na igreja evangélica, se dizem convertidos ao Senhor, entretanto, não o conhecem segundo a as Escrituras o revelam!
Deus ama revelar-se ao seu povo! E não poderia ser diferente. Lemos as benditas palavras do Salmo 25: 14: “a intimidade do Senhor é para os que o temem, aos quais ele dará a conhecer a sua aliança”. Portanto, como é possível retirar o Senhor do seu trono e ainda assim, temê-lo? Como é possível crer num deus que cede às nossas exigências? Lemos nas Escrituras Sagradas “o meu conselho permanecerá de pé, farei toda a minha vontade” (Is. 46: 10). Leram atentamente? Diz o Senhor que ele fará toda a vontade dele! Não a nossa vontade.
Vemos atualmente uma geração idólatra! Criaram um deus à própria imagem e semelhança. Um deus que cede aos caprichos de pecadores insolentes, mimados e carnais. Não aprendeu a submeter-se aos desígnios do Deus Todo Poderoso e a glorificá-lo tão somente porque Deus é Deus! Acaso ainda não leram nas Escrituras Sagradas que os pensamentos de Deus “não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor” (Is. 55.8).
O grande Eu Sou faz sempre e tão somente o que lhe agrada. Toda nossa vida, nossa história, todos os acontecimentos do mundo inteiro, dos mais graves aos mais pitorescos acontecimentos estão debaixo dos desígnios e dos propósitos de Deus.
Os nossos dias são dias difíceis porque o conhecimento de Deus é menosprezado. Alguns não se rebelaram verbalmente, mas, em seus corações, não descansam no fato de saber que Deus continua no controle de todas as coisas. Portanto, seria prudente lembrar que Deus esquadrinha o coração. (Jr. 17: 9-10)
Lutemos com as armas que o Senhor nos concedeu para rejeitar o erro, os falsos ensinos e os falsos profetas da nossa geração! E conhecer a Palavra do Senhor seria um excelente começo!

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Fé em Deus ou Fé na Fé?


Muitos Cristãos sinceros estão sendo influenciados por feitiçaria. O antigo evangelho da cruz parece não ter mais valor. Os princípios bíblicos de humildade, de serviço, de submissão e contentamento em Deus estão em declínio há mais de duas décadas. Quão doces são as palavras do salmista quando declara no belíssimo Salmo 73.25: “Quem mais tenho eu no céu? Não há outro em quem eu me compraza na terra.”
Por meio de mensagens pregadas, por meio de músicas ou livros, um falso e satânico ensino tem sido difundido no meio evangélico. E a mensagem positivista, triunfalista, tão em moda hoje, está muito mais próxima da feitiçaria do que com os ensinos da Santa Palavra de Deus.
As melhores mensagens dos dias atuais são as mensagens positivistas ou motivacionais. Muitos pastores atualmente ganham muito dinheiro falando para empresários. Mas não é o evangelho que é pregado entre os empresários e outros segmentos. A mensagem é motivacional. É para que seus ouvintes trabalhem mais empolgados, na certeza de que, usando certas técnicas, se tornem homens e mulheres mais prósperos. Enfim, é um ensino de como ganhar dinheiro, sucesso e felicidade na vida, empregando técnicas que, supostamente, extraíram da Bíblia.
O grande chamariz é o sucesso! Exemplos como “Vida Vitoriosa; Uma vida com Propósito; Venha ser Feliz; Despertando para o Sucesso; Nascido para Vencer; Conquistando o Sucesso; Culto da Vitória; Culto do Poder; O Poder da Oração”, são mensagens bem típicas dos nossos dias. E a palavra de ordem é que você pode ser feliz, seguindo certas técnicas!
A maioria das modernas técnicas motivacionais usadas pelos animadores de auditório encontra sua raiz num homem chamado Napoleon Hill, adepto da feitiçaria e que, atribuiu seu trabalho a “Escola de Mestres”, que, segundo Hill, eram espíritos guias! Eis aí a base da motivação dos dias atuais, ou seja, ensino de demônios!
O Apostolo Paulo nos advertiu quanto a esse engano quando escreveu a Timóteo, alertando-o contra tais ensinos: “Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios.” (1 Tm 4.1).
Antigamente dizia-se que o pecado fundamental da humanidade era o orgulho, entretanto, hoje, temos o maior dos males na baixa auto-estima, e o sucesso poder facilmente resolver este problema!
A Igreja deveria rejeitar tais ensinos e seus divulgadores!
A Igreja deveria firmar os passos na Palavra de Deus que ensina um outro comportamento: “Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte.” (1 Pedro 5.6).
A cruz santifica a vida do Cristão porque nos mostra o quanto somos pecadores e devedores a Deus e, ao mesmo tempo, enche o coração do verdadeiro cristão de santa alegria, pois sabe que não foi por merecimento pessoal, portanto, recebe com muita alegria o fato de ter Cristo, morrido por nossos pecados. Está é a verdadeira fé que vence o mundo! (1 João 5:4).

quarta-feira, 25 de março de 2009

Vergonha Nacional...mais uma vez!


O ministro da Justiça, Tarso Genro, recebeu nesta terça-feira, 27, um abaixoassinado com nomes que apoiam a concessão de refugiado político ao ex-ativista de extrema-esquerda italiano Cesare Battisti. Os ministros do Supremo Tribunal Federal também receberam o documento.

Battisti, ex-militante da organização Proletários Armados pelo Comunismo (PAC), foi condenado à prisão perpétua na Itália por quatro homicídios cometidos na década de 70. Ele foi detido no Rio de Janeiro em março de 2007.

Em primeiro lugar é estranho que este "Proletários ARMADOS pelo Comunismo", seja somente força de expressão. Ou alguém acha que "ARMADOS" era referência a flores, exatamente como os hippies usavam na década de 60 para protestar?

Em segundo lugar, é digna de nota a diversidade de profissionais espalhados nas mais diversas áreas em nosso País que pretendem acobertar um criminoso como Cesare Battisti. Não houve tamanho movimento e comoção de tais brasileiros quando os boxeadores cubanos clamaram ajuda ao País. E o que aconteceu? Os coitados foram enxotados daqui.
Resumindo, tais “ilustres brasileiros” que tiveram a coragem para defender um criminoso, em função de uma idolatria socialista, são responsáveis diretos por mais um capítulo de vergonha nacional. Eternamente o País do Futuro, e ao que parece, o eterno paraíso da impunidade.
Parabéns senhores e senhoras desta infame lista. Se fossem seus filhos os atingidos pela mão do italiano, estariam pedindo justiça.

Veja logo abaixo, os “ilustres iluminados” que assinaram a vergonhosa lista.

Giuseppe Cocco - Professor, UFRJ

Eduardo Viveiros de Castro - Professor UFRJ

Augusto Boal - Diretor artístico do Centro do Teatro do Oprimido

Oscar Niemeyer - Arquiteto

Emir Sader - Professor, UERJ
Marcelo Cerqueira - Advogado

Leandro Konder - Filósofo

Paulo Saboia - Advogado

Renato Guimarães - Editor

Nilo Batista - Professor, UFRJ
Emerson Elias Merhy - Médico sanitarista, prof. aposentado da Unicamp

Peter Pal Pelbart - Professor, PUC-SP

Paulo Henrique de Almeida - Professor, UFBa
Daniel Aarão Reis - Professor, UFF

Antonio Lancetti - Psicanalista

Arnaldo Carrilho - Embaixador e homem de cinema

Pablo Gentili - Professor, UERJ

Grupo Tortura Nunca Mais/Rio de Janeiro
1) Adair Gonçalves Reis - Comerciante

2) Adalton Marques - Mestrando em Antropologia (USP)

3) Adauto Melo - Grupo Beatrice

4) Adriana Tanese Nogueira - Psicoterapeuta e escritora

5) Adriano Copetti - Juiz Federal

6) Affonso Henriques G. Corrêa - Economista

7) Afonso Celso Lana Leite - Artista plástico, professor da Universidade Federal de Uberlândia

8) Ailton Benedito de Sousa - Escritor, do Conselho editorial de Comunicação&política


9) Alberto Schprejer - Editor

10) Alberto Tornaghi - Professor, Rio de Janeiro

11) Alessandra Giovanella - Artista Visual e educadora

12) Alexander José de Freitas - Metalúrgico Aposentado e estudante de Letras

13) Alexandre Cesar Lima Diniz - Advogado

14) Alexandre Lambert - Cenógrafo

15) Alexandre Luís Cesar - Deputado Estadual PT/MT

16) Alexandre Mendes - Defensor Público

17) Alexandre Nascimento - Pré-Vestibular para Negros e Carentes

18) Alfredo Luiz Bonardo - Advogado

19) Alfredo Moles - Médico

20) Alice Copetti Dalmaso - Bióloga

21) Alipio Freire - Jornalista e escritor

22) Aluízio Palmar - Jornalista e escritor

23) Alvaro Marinho - Jornalista/Professor

24) Alyda Sauer - Tradutora

25) Amaury Pinto de Castro Monteiro Jr. - Analista de Sistemas

26) Amyra El Khalili - Professora, Economista

27) Ana Amélia Gomyde - Pianista, Fames-Es

28) Ana de Hollanda - Cantora e compositora

29) Ana Lucia Mota - Geógrafa

30) Ana Lúcia-Miro - Empresária

31) Ana Maria Muller - Advogada

32) Ana Toscano - Bióloga


33) Anamaria Damazio Candal Fonseca - Instrumentadora cirúrgica

34) André Barros - Advogado

35) André Martins - Professor UFRJ

36) Andréa do Rocio Caldas - Professora UFPR

37) Angela Almeida - Historiadora, OVP-SP

38) Angela Caniato

39) Angela Cristina Paulo do Espírito Santo - Pedagoga/ Administradora Hospitalar
40) Angela Maria Corrêa Tristão - Bióloga

41) Angela Maria Mees - Empresária

42) Ângelo Ricardo de Souza - Professor UFPR

43) Annick Donniou - Professora

44) Antenor Gomes de Lima - PT, Guarapuava

45) Antenor Lago Costa - Artista Plástico / arte-educador

46) Antônio Carlos da Cunha (Antônio Cunha) - Dramaturgo e diretor de teatro

47) Antonio de Medeiros - Jornalista

48) Antonio Lancetti - Psicanalista

49) Antonio Leopoldo Tristão - Engenheiro

50) Archimedes Guimarães de Castro - Médico

51) Ariele Angélica Caldeira Correia - Estudante

52) Arnaldo Carrilho - Embaixador e homem de cinema

53) Arthur Goncalves Filho - Industriário aposentado e tradutor

54) Artur Bruno - Professor e deputado estadual PT

55) Ary Sergio Braga Olinisky - Engenheiro Eletrônico SEDIS/UFRN

56) Aton Fon Filho - Advogado

57) Augusto Boal - Diretor artístico Centro do Teatro do Oprimido

58) Augusto Coronel Cruz

59) Augustus Cezar Servulo - Psicólogo e torcedor do Flamengo

60) Auriluz Pires

61) Babe Lavenère Machado de Menezes Bastos - Técnica em publicidade legal/EBC

62) Bárbara Ferreira Arena - Editora, São Paulo

63) Bárbara Szaniecki - Designer

64) Beatriz Antoun - Médica

65) Beatriz do Valle Bargieri - Arquiteta e advogada

66) Ben Berardi -

67) Benedito Prezia - Antropólogo e professor

68) Benildes Rodrigues - Geógrafa/Jornalista

69) Bernardo Furrer - Médico, RN

70) Bernardo Karam - Professor UFRJ

71) Beth Formaggini - Documentarista

72) Beth Müller - Psicanalista

73) Bruno Cava - Engenheiro Aeronáutico

74) Bruno Marcus R. P. Santos - Eng. Químico

75) Caia Fittipaldi - Tradutora

76) Caio Márcio Silveira - Sociólogo, Rio de Janeiro

77) Caio Martins Bugiato - Mestrando Unicamp

78) Camilo Toscano - Jornalista

79) Carlos A de Moura - Matemático, RJ

80) Carlos Antonio Alecrim

81) Carlos Antonio Coutrim Caridade - Analista de Sistemas/Psicólogo

82) Carlos Augusto Amaral Hoffmann - Engenheiro

83) Carlos Augusto Peixoto Junior - Psicanalista e Professor da PUC-Rio

84) Carlos Boeira - Consultor

85) Carlos Palombini - Professor universitário (UFMG), pesquisador do CNPq

86) Carlos Russo Junior - Dentista

87) Cássio Henrique Côrtes Baldi - Comerciante

88) Castor Filho - Engenheiro e fotógrafo

89) Caulos - Desenhista de humor, pintor

90) Ceci Juruá - Economista e pesquisadora LPP/UERJ

91) Celeste Marcondes

92) Celso Eduardo Dornelles Fialho - Coordenador da Associação dos Servidores da

Universidade Federal de Santa Maria, ASSUFSM

93) Celso Lungaretti - Jornalista e escritor

94) Celso Ribeiro de Almeida - Químico - Unicamp

95) César Augusto Teles

96) Cesar Cavalcanti - Cineasta

97) Cezar Wagner - Professor universitário - UFC

98) Charles Augusto de Oliveira - Funcionário público, ator e marceneiro

99) Christina Iuppen - Professora

100) Cid barbosa Lima Junior - Engenheiro

101) Cid Nelson Hastenreiter - Médico

102) Cinda Gonda - Professora de Literatura Portuguesa da Faculdade de Letras da UFRJ

103) Ciro Gomes de Freitas - Funconário Público da Educação de Mato Grosso

104) Claudiana Nogueira de Alencar - Professora da UECE

105) Claudio Antonio Di Mauro - Professor do Instituto de Geografia da Universidade Federal de Uberlândia

106) Cláudio Batalha - Professor Unicamp

107) Claudionor dos Anjos Pereira - Comerciante

108) Clenice Oliveira de Araujo - Psicóloga

109) Cleriston Petry - Passo Fundo, RS

110) Cleusa Pavan - Psicanalista

111) Clóvis Caribé Menezes - Professor da Universidade Estadual de Feira de Santana/UEFS, Bahia


112) Corinta Geraldi - Profa. Aposentada, FE/UNICAMP

113) Criméia Alice Schmidt de Almeida - Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos

114) Dalton Antonio Fernandes

115) Damian Kraus - Psicanalista, tradutor

116) Damian Kraus - Psicanalista/tradutor

117) Daniel Aarão Reis - Professor UFF

118) Daniel Dutra Trindade - Psicólogo, mestrando em psicologia social

119) Danielle Corrêa Tristão - Publicitária

120) Danilo Iurczac Viana - Autônomo

121) Débora Bertussi - Enfermeira, Prof. UFPB

122) Deborah Machado - Pres. PcdoB Erechim/RS

123) Delson Plácido - Jornalista, Grupo Tortura Nunca Mais/SP -

124) Diego Silva - Músico


125) Diorge Alceno Konrad - professor do Departamento de História da UFSM.

126) Dirlene Marques - Economista, professora universitária

127) Diter Rodrigues dos Santos - Engenheiro de Telecomunicações

128) Diva Barreto Gomyde - Psicóloga

129) Douglas Wagner Franco - Professor IQSC-USP

130) Dulce Maia de Souza

131) Edmilson Costa - Professor universitário

132) Edson Barrus - Artista multimídia

133) Eduardo Viveiros de Castro - Professor UFRJ

134) Eisenhower de Alcântara - Aposentado/professor da rede estadual de ensino do ESPaulo

135) Eleonora Menicucci - ProfessoraTitular Unifesp

136) Eliane de Fátima Bueno - PT, Guarapuava

137) Elias Francisco Barguil - Biólogo

138) Eliete Ferrer - Professora, membro do Grupo Tortura Nunca mais/RJ

139) Eliezer Gomes - ComerciÁrio e Historiador, João Pessoa-Pb

140) Elisa Pimentel - Professora

141) Elizabeth Araújo Lima - Professora da USP

142) Elizabeth Medeiros Pacheco - Psicóloga Clínica

143) Eloisa Elena Abreu - Aposentada

144) Emerson Elias Merhy - Médico sanitarista, prof. aposentado da Unicamp

145) Emir Sader - Professor UERJ, Laboratório de Políticas Públicas e Secretário Executivo do Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais (Clacso)

146) Enrique Ortega - Professor, Unicamp

147) Enzo Luis Nico Júnior - Geólogo, DNPM SP

148) Enzo Luis Nico Júnior - Geólogo/DNPM SP

149) Ernesto Erivelton Rodrigues - Consultor em Educação/Pedagogo/Especialista em Educação Ambiental

150) Érton Birk Teixeira - Economista/Bancário

151) Esequiel Laco Gonçalves - Professor e Psicólogo, Campinas

152) Ester Duarte Gonçalves - Advogada, Campinas

153) Euler Viana Corrêa Tristão - Engenheiro - MG

154) Eunice Aguiar - Jornalista

155) Fábio Lobianco - Assessor jurídico - Instituto Cidade

156) Fabio Malini - Professor/UFES

157) Fábio Nunes dos Santos - Técnico Social/Ativista Social/Produtor Rural

158) Fabricio Noronha - do coletivo Sol na Garganta do Futuro, Vitória-ES

159) Fatima Lacerda - Jornalista

160) Fátima Mello, coordenadora da FASE - Solidariedade e Educação

161) Fátima Mustafa - Professora

162) Felipe Cavalcanti - Médico

163) Felipe Copetti

164) Felipe Lindoso - Editor

165) Felipe Soares de Oliveia Pereira - Nutricionista

166) Félix José Ximenes Ávila - Anistiado Político (Banco do Nordeste) Fortaleza/CE

167) Fernanda Maria Tardin Waichert Pinheiro

168) Fernando Claro Dias - Advogado

169) Fernando Magno - Funcionário público estadual (Vitória-ES)

170) Fernando Muro Martinez - Historiador/Bancário

171) Francisco Alano - Presidente da Federação dos Trabalhadores no Comércio no Estado de Santa Catarina

172) Francisco C. Lima Filho - Economista

173) Francisco de Assis Costa Aderaldo - Advogado

174) Francisco Soriano de Souza Nunes - Economista e diretor titular do Sindipetro-RJ

175) Francisco Weyl - Poeta e realizador de cinema

176) Gabriel Santos de Araújo - Professor de literatura

177) Geo Britto - Centro do Teatro do Oprimido (CTO)

178) Geraldo Cavalcanti - Roteirista

179) Geraldo Silva - Advogado

180) Gerardo Silva - Pesquisador UFRJ

181) Gerivaldo Alves Neiva - Juiz de Direito/Conceição do Coité - Ba.

182) Gil Soul - Cantor e compositor

183) Gilberto de Azevedo -

184) Gilberto de Azevedo -

185) Gilberto Maringoni - Jornalista e historiador/IPEA

186) Gilberto Telmo Sidney Marques - Professor universitário

187) Gilles de Staal - Pintor, jornalista e escritor, Paris/São Paulo

188) Gilson Caroni Filho - Professor-Facha

189) Gilson Sampaio - brasileiro

190) Giovanni Rodrigues - Professor/UERN

191) Gisela Camara - Documentarista

192) Giselle Corrêa Nienkötter - Curitiba-PR

193) Giuseppe Cocco - Professor UFRJ

194) Gláucia Matos Adeniké - Pedagoga Feminista, Educadora Popular - Fala Preta! Organização de Mulheres Negras

195) Glaucia Vieira Ramos Konrad - Professora do Departamento de História da UFSM.

196) Gloria Seddon - Psicanalista e artista visual

197) Gonzaga Lopes - Professor e escritor

198) Graça Medeiros - Escritora, São Paulo, SP

199) Grupo Tortura Nunca Mais/RJ

200) Guilem Rodrigues da Silva - Poeta e juiz de segunda instância

201) Heládio José de Campos Leme - Professor

202) Helder Barbosa - Economista, Salvador, Ba.

203) Helena Vieira - Bailarina

204) Helerina Aparecida Novo - Professora UFES

205) Helio de Mattos Alves - Professor da UFRJ

206) Helio Gusmão Filho - Historiador/UESB/Vitoria da Conquista-Bahia

207) Heloisa Fernandes - Escola Florestan Fernandes do MST - Professora USP

208) Henrique Antoun - Professor UFRJ

209) Heres Emerich Pires - Bibliotecário

210) Iberê Cavalcanti - Cineasta

211) Idalvo Toscano - Funcionário Público

212) Igor Napoleão - Advogado, Engenheiro, Cidadão

213) Inêz OLudé - Artista plástica

214) Irineu José Dalmaso - Professor estadual, RS

215) Isabel de Fatima Ferreira Gomes - Advogada

216) Isanete Soares de Oliveira -

217) Isanete Soares de Oliveira - Farmacêutica e bioquímica

218) Isis Proença - Funcionária Pública

219) Ismar C. de Souza

220) Israel Raimundo dos Santos - AGPP

221) Ivan Monte Claudino Júnior - Advogado

222) Ivan Proença - Professor

223) Ivana Bentes - Professora UFRJ

224) Izabel Cristina da Cruz - Professora, RJ

225) Izabel de Fátima Mangia Borges - Psicanalista

226) Jacinta de Fátima Senna da Silva - Trabalhadora Pública

227) Janete Moro - Pesquisadora

228) Jeanne Gomes de Brito - Historiadora

229) Jefferson O. Goulart - Professor Unesp

230) Jeruza Souza - Jornalista

231) Jesus Carlos - Repórter fotográfico

232) Jesus Chediak - Teatrólogo e jornalista

233) Jô Gondar - Psicanalista, professora da UNIRIO

234) João Carlos Bezerra de Melo - Economista, consultor

235) João Fontenele Araújo

236) João Geraldo Lopes Gonçalves (Janjão) - Escritor

237) João Hélder Dantas Cavalcanti - Advogado/RN

238) João Raimundo M. de Souza (Kiko) - Coordenador Sindicato Trab. da Unicamp, STU

239) João Ramos Costa Andrade - Professor da UERJ

240) João Ronaldo Mac-Cormick da Costa - Servidor Público Federal

241) João Sérgio da Silva Costa - Técnico em informática e universitário

242) John Fontenele Araujo - Professor, Laboratório de Cronobiologia,
Departamento de Fisiologia, CB-UFRN

243) Joice Passos do Santos

244) Jonathan Constantino - Biólogo e professor

245) Jonei Reis - Engenheiro Civil

246) Jorge A. Bittar - Arquiteto

247) Jorge Eduardo Nascimento - Cidadão

248) Jorge Gomes de Souza Chaloub - Mestrando PUC-RIO.

249) Jorge Luiz Pereira dos Santos - Bacharel em Direito

250) José Ademir Sales de Lima - Professor Titular, Departamento de Astronomia (IAG-USP)

251) José Alves da Silva - Ex presidente do SEEB DF

252) José Antonio Gonçalves - Eng. Geólogo

253) José Augusto da Silva - Diretor do Instituto Cidade

254) José Caldas da Costa - Jornalista, escritor, licenciado em Geografia

255) José Carlos dos Santos - Petroleiro

256) José L. R. Cardoso -

257) José Lima - dirigente CUT-RJ

258) José Ronaldo Pereira da Silva - Professor

259) José Varella Pereira - Ensaísta (História / Amazônia)

260) Juarez Armando Brito de Vasconcellos - Publicitário - RJ

261) Juliana Copetti Hickmann

262) Júlio Américo Pinto Neto - Jornalista e militante em direitos humanos

263) Júlio César de Oliveira Valentim - Jornalista

264) Julio César Portela Lima - Engenheiro - (CREA-CE 4716)

265) Júlio César Senra Barros - Democrata

266) Julio Cesar Senra Barros - Democrata e Interlocutor Social

267) Júlio Neves de Carvalho - Pedagogo/Empresário

268) Jurema Elismar de Araujo - Professora

269) Jussara Ribeiro de Oliveira, advogada do RJ e membro do Forum de

270) Karla Sant'Anna de Moura Coutinho - Administradora e Tradutora

271) Laerte Braga - Jornalista

272) Laizio Rodrigues de Oliveira - Livre Pensador

273) Laurindo Elias Pedrosa - Professor, CaC/UFG

274) Laurita Salles - Artista plástica

275) Leandro Konder -

276) Leonardo da Rocha Botega - Professor de história da rede estadual do RS.

277) Leonardo Palma

278) Leonardo Retamoso Palma - Rede Universidade Nômade

279) Leonor Nunes Erberich - Professora de inglês

280) Leonora Corsini - Pesquisadora UFRJ

281) Leopoldo Paulino Diretor do Fórum dos Ex-presos Políticos de SP

282) Lérida Povoleri - Professora do ensino superior

283) Lídia Amaral de Brito - Socióloga

284) Lincoln Secco - Professor USP

285) Liszt Vieira - Advogado

286) Lúcia Copetti Dalmaso - Rede Universidade Nômade, Advogada

287) Lúcia Fernandes Lobato - Professora UFBa

288) Lucia Gomes - Artista Plástica

289) Luciana Salazar Salgado - Linguista

290) Luciana Vanzan - Psicóloga

291) Luciane Chiapinotto - Psicóloga

292) Luis Sergio Martins Pinto - Professor

293) Luiz Alves de Oliveira Filho - Mestrando em Ciência Política UTL-Portugal)

294) Luiz Antonio Barbosa - Servidor Público Federal - RR

295) Luiz Benedicto Lacerda Orlandi - Professor

296) Luiz Camillo Osorio - Professor PUC-Rio

297) Luiz Carlos de Sousa Santos - Economista

298) Luiz Carlos Maranhão - Jornalista

299) Luiz Carlos Ramos Cruz - Engenheiro

300) Luiz Claudio Cunha Souza - Contador

301) Luiz Felipe Rocha da Palma - Publicitário e divulgador científico

Universidade Federal do Espirito Santo

302) Luiz Gozanga (Gegê) - Central de Movimentos Populares do Brasil

303) Luiz Monteiro Teixeira - Sociólogo, Oficina da Práxis

304) Luiz Vicente Vieira Filho - Jornalista

305) Lutz Franthesco da Silva Rocha - Estudante de Psicologia e Artista

306) Luziano Pereira Mendes de Lima - Professor/Uneal

307) Magali Godoi -

308) Manfredo Caldas - Documentarista

309) Marcelo Cerqueira - Advogado

310) Marcelo de Santa Cruz Oliveira - Advogado e militante dos direitos
humanos

311) Marcelo Gonçalves Mora - Professor de Educação Física

312) Márcia Arán - Psicanalista, Professora da UERJ

313) Marcia Irulegui Gomes - Fisioterapeuta

314) Marcilio Teixeira de Mello -

315) Márcio José de Souza Aguiar - Advogado

316) Marco Antonio Santos - Psicólogo, Jundiaí, SP

317) Marcos Arruda - Economista e educador do PACS, Rio de Janeiro

318) Marcos Pinto Basto -

319) Marcos Simões - Policial militar paulista

320) Marcos Vinícius da Silva Neves - Estudante de Artes Plásticas, UFBA

321) Margot Queiroz - Socióloga, DF

322) Maria de Nazare Gonçalves de Oliveira - Produtora cultural

323) Maria Aline de Sá Ferreira Gomes

324) Maria Amélia de Almeida Teles

325) Maria Aparecida Baccega - Professora ECA-USP

326) Maria Carmen Antunes da Costa - Pedagoga Recife/PE

327) Maria Carolina Gomes Barbalho - Estudante de psicologia

328) Maria Carolina Marcello - Estudante de Jornalismo

329) Maria Cláudia Badan Ribeiro - Doutoranda em História Social e membro do LEI (Laboratório de Estudos sobre Intolerância-USP)

330) Maria das Dores Nascimento - Advogada OAB/SP

331) Maria de Fátima Magalhães de Lima - Diretora de Escola Pública Municipal do RJ

332) Maria do Carmo Barreto de Sá (Micau Barreto) - Téc. Ass. Edc. da Universidade Federal da Bahia

333) Maria do Livramento Pereira - Servidora aposentada

334) Maria Esmeralda da Cruz Forte - Artista-atriz

335) Maria Inês Nobre Ota - Professora

336) Maria José Silveira - Escritora

337) Maria Lúcia Garcia Pallares-Burke - Prof. Aposentada USP, Pesquisadora do Center of Latin American Studies, Cambridge

338) Maria Luiza de Lavenère - Arquiteta. Brasília/DF

339) Maria Regina Maciel - Psicanalista e professora Adjunta da UERJ

340) Maria Rita Py Dutra - Professora, escritora e Coordenadora do Núcleo de Educação do Museu Treze de Maio, Santa Maria-RS

341) Maria Soares de Camargo - Professora PUC-Campinas

342) Maria de Nazare Gonçalves de Oliveira - Produtora cultural

343) Mariangela Nascimento - Universidade Federal da Bahia - Instituto Cidade

344) Marilda Teles Maracci - Geógrafa, UNESP/UFF/UFES.

345) Marilia Felipe - Grupo Tortura Nunca Mais/RJ
346) Marilia Guimarães - Empresária/ Rio de Janeiro, Presidente do Comitê em Defesa da Humanidade
347) Marilourdes Fortuna - Assistente Social e Professora de Filosofia
348) Marina Bueno - Assistente social/Mestranda UFRJ
349) Mário Augusto Jakobskind - Rio de janeiro - Jornalista
350) Mário Vieira da Silva - Cineasta
351) Marisa Greeb - Sociodramatista

352) Marise da Silveira - Professora

353) Marisol Martins -

354) Maristela da Fontoura Machado - Advogada

355) Marluce A. Souza e Silva - Professora UFMT, assistente social e advogada

356) Marly Vianna - Professora UFSCar

357) Martinho Leal Campos - Economista e artista plástico

358) Mateus de Quadros - Consultor Legislativo da Câmara de Vereadores de Joinville/SC

359) Maurice Politi - Administrador

360) Mauricio Siqueira - Sociólogo, Fundação Casa de Rui Barbosa

361) Mauricio Sulinsk -

362) Mauro Luis Iasi - Professor de Ciência Política e Teoria do Estado da Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo

363) Maysa Pinto Machado - Socióloga

364) Melão Monteiro - Metalúrgico do ABC/SP - PSOL-SBCampo.

365) Michel Sadalla Filho - Professor Unicamp

366) Mirna Fernandes - Editora e escritora

367) Mitsue Morisawa - Editora

368) Monica Alkmim - Pedagoga e coordenadora de ONG

369) Monica Horta - Jornalista e astróloga

370) Neiri Alves Feldman -

371) Nélie Sá Pereira - GTNM/RJ

372) Nelma Gusmão de Oliveira - Doutaranda IPPUR/UFRJ

373) Nelson Brum Motta - Economista


374) Nelson Luis Borges de Barros - Engº Agrônomo

375) Nelson Martinez - Operário aposentado

376) Nelson Riedel - Psicanalista

377) Nélson Serathiniuk - Sociólogo

378) Nestor Cozetti - Jornalista, professor

379) Newton Velôso Pimentel - Engenheiro agrônomo

380) Newton Virando Basile -

381) Nilo Sergio Gomes - Jornalista, pesquisador e doutorando na ECO-UFRJ

382) Nilton do Nascimento - Diretor Regional da ECT/MT

383) Odila Fonseca - Diretora da "OLHO DA RUA" produções artísticas

384) Olivier Marc Borius - Coordenador ONG

385) Oscar Niemayer - Arquiteto

386) Pablo Branco de Moura - Professor

387) Pablo Gentili - Professor UERJ e Clacso

388) Patrick Pessoa - Professor

389) Paula Chieffi - Psicóloga

390) Paulo Alberto dos Santos Vieira - NEGRA/UNEMAT - Professor

391) Paulo Cesar Azevedo Ribeiro - Professor e servidor público

392) Paulo Henrique Bueno - PT, Guarapuava

393) Paulo Henrique de Almeida - Professora UFBa

394) Paulo Herdy Filho - Servidor público/UFF

395) Paulo M.Ferreira Araújo - Professor Unicamp

396) Paulo Pontes da Silva - Professor da Universidade do Estado da Bahia

397) Paulo Roberto Beskow - Professor UFSCar

398) Pedro Albuquerque - Advogado e sociólogo

399) Pedro Amaral - Editor, revista Comunicação&política

400) Pedro Ayres - Jornalista aposentado

401) Pedro Barbosa -

402) Pedro Castilho - Engenheiro

403) Pedro Copetti Dalmaso - Médico

404) Pedro Mezgravis - Jornalista

405) Penha Pena - Arquiteta e urbanista

406) Pepe Bertarelli - Arquiteto

407) Peter Pal Pelbart - Professor PUC-SP

408) Prudencia Paiva - Esteticista

409) Rachel Moreno - Psicóloga e pesquisadora

410) Rafael Domingues Adaime - Psicólogo

411) Raquel P. Teixeira Lima - Psicóloga sanitarista, Política Nacional de Humanização, MS

412) Raul Longo - Jornalista

413) Raul Vinhas Ribeiro - Professor Unicamp

414) Regina de Toledo Sader - Professora aposentada USP

415) Renato Simões - Secretário Nacional Movimentos Populares do PT

416) Ricardo Basbaum - Artista, professor da UERJ

417) Ricardo Campo - Unesp

418) Ricardo Cavalcanti-Schiel - Antropólogo

419) Ricardo Pimenta - Administrador de empresas e professor da FGV-RJ

420) Ricardo Rezende Figueira - Padre e professor da UFRJ

421) Rita Claudia Aguiar Barbosa -

422) Roberto Amaral - Escritor, ex-Ministro da Ciência e Tecnologia

423) Roberto Duarte Santana Nascimento - Estudante (doutorando em Filosofia/Unicamp)

424) Roberto Ponciano Gomes de Souza Júnior - Advogado

425) Rodrigo Guéron - Professor UERJ

426) Rodrigo Nunes - Goldsmiths College, University of London
e revista Turbulence.

427) Rogerio Cavalcanti - Artista plástico, diretor de arte

428) Romildo Maranhão do Valle - Engenheiro, DNPM-MME/RJ

429) Ronaldo Barroso - Repórter Fotográfico

430) Ronaldo Lima Lins - Diretor da Faculdade de Letras da UFRJ

431) Ronaldo Volmer Frechiani - Arquiteto

432) Rosaldo Bezerra Peixoto - Professor

433) Rosalina Fernandes - Psicóloga

434) Rosalvo Maciel - Médico

435) Rose Maria Zaionz da Rocha - Pedagoga

436) Rose Meri Trojan -


437) Rose Nogueira - Jornalista e militante dos Direitos Humanos

438) Roseli Franco de Godoy Carvalho - Bancária aposentada

439) Rozangela Souza Oliveira da Silva -

440) Ruberval Ferreira - Prof. da Universidade Estadual do Ceará

441) Rui Martins - Jornalista e escritor

442) Rui Mesquita - Sociólogo

443) Ruth Maria Scaff - Professora UnB

444) Ruth Vieira - Brasília, DF

445) Salvador Schavelzon - Antropólogo

446) Sandra Cristina G. Benedetti - Presidente da ObeeC

447) Sara Vitelloni Tibola - Arquiteta e urbanista

448) Sebastião de Oliveira -

449) Sérgio Nazar David - Escritor e Professor Universitário /RJ

450) Silnei S. Soares - Professor

451) Silvana Copetti Dalmaso - Jornalista

452) Silvana Della Torre - Pedagoga

453) Silvia Ulpiano - Psicóloga

454) Silvio R. M. Machado - Pedagogo

455) Simone Sobral Sampaio - Professora UFSC

456) Simoni Vilant de Biasi -

457) Solange Bastos - Jornalista e escritora

458) Sonia Andrade - Artista plástica, RJ

459) Sonia Montenegro - Analista de Sistemas

460) Sueli Coe Vieira - Médica

461) Susana Castro - Professora UFRJ

462) Suzana Keniger Lisbôa - Comissão de familiares de mortos e desaparecidos políticos

463) Sylvio Renan Ulyssea de Medeiros - Economista

464) Talita Tibola - Psicóloga, mestranda em educação

465) Tamie Hammermeister Nezu -

466) Tania Kolker - Equipe clínica do Grupo Tortura Nunca Mais/RJ

467) Tânia Maia Barcelos - UFG/Campus Catalão

468) Tânia Marins - Grupo Tortura Nunca Mais

469) Tatiana Roque - Professora UFRJ

470) Telma Lage - Advogada, professora

471) Telma Lilia Mariasch - UFRJ

472) Tereza Briggs-Novaes -

473) Tereza Maria Copetti Dalmaso - Professora estadual, RS

474) Thiago Amaral -

475) Urariano Mota - Escritor e jornalista

476) Valdi Ferreira - Advogado

477) Valeria Reis Siqueira - Servidora Pública, UFRJ

478) Valéria Wilke - Professora do Dep. de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro/UNIRIO

479) Valmir Santos de Araújo - Engenheiro Sanitarista

480) Valmir Silvério -

481) Valquiria de Lima Rodrigues - Estudante de Jornalismo

482) Vander Antônio Costa - Servidor público

483) Vanessa Francescato - Funcionária pública, RS

484) Vanessa Ramos - Turismóloga, militante da Educafro

485) Venusto Casto Francisco López - Tradutor

486) Vera de Sá Braz - Esteticista, professora curso Técnico de Estética

487) Vera Lúcia Nunes - Professora

488) Vera Vital Brasil - Equipe clínica, Tortura Nunca Mais/RJ e Fórum de Reparação e Memória do RJ
489) Veronica Damasceno -

490) Vicente Alessi Filho - Jornalista

491) Victor Leonardo de Araujo - Professor da UFF

492) Vitor Biasoli - Professor do Departamento de História da UFSM

493) Vitor Sarno - Economista e Analista Ambiental, IBAMA

494) Vladimir Lacerda Santafé - Professor de Filosofia e Cineasta

495) Wagner Aloísio de Lima Resende - Servidor público

496) Wakina M. Britto Lima - Pedagoga

497) Walkyria Mortati de Britto Lima - Pegagoga

498) Wallace Hermann Jr. - Radialista e Educador

499) William Pereira - Farmacêutico

500) Wilma Antunes Maciel - São Paulo/SP

501) Wilma Ary - Jornalista e escritora

502) Zacarias Marinho - Professor

503) Zelia Villar - Psicanalista e artista plástica

504) ZenaIde Machado de Oliveira - Cientista Social

505) Zoroastro Sant'Anna - Assessor-Chefe da Direção Geral, TV BRASIL

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Mais uma fraude da esquerda!


Recebi esta informação e agora repasso aqui. Espero sinceramente que os leitores atentem para a fraudulenta artimanha do governo.


Reportagem do jornal A GAZETA, Vitória, ES, deste domingo 08/02/2009 desinforma e torce a verdade.Postado por Anderson GonzagaO título mentiroso é: "99% dos brasileiros discriminam gays".Logo no início da reportagem na página 27, traz uma informação que assusta: "Só 1% dos brasileiros maiores de 16 anos não têm preconceito contra homossexuais."E prossegue: "Entre 26% e 29% assumem não gostar de gays, lésbicas, travestis ou transexuais. Os demais até disfarçam, mas 99% caíram na malha fina de pesquisa nacional feita pelas fundações Perseu Abramo, ligada ao PT, e Rosa Luxemburg."Aqui se descobre o sobrenome dos pesquisadores mentirosos: eles são ligados ao PT. E, não por acaso, essa pesquisa será usada pelo governo do PT para justificar a implantação de programas do PT que visam enfiar goela abaixo da sociedade brasileira o "gosto" pelo homossexualismo.É o que vai logo adiante na reportagem: "O governo federal usará o levantamento para planejar novas políticas e alerta que já detectou um desdobramento sombrio de tanto preconceito: a intolerância."Você, a esta altura, deve estar espantado com tanto preconceito e intolerância por parte de nossa população e, diante da criação de um programa federal para enfrentar o problema, imaginando que no Brasil grupos de pessoas se reunem para caçar homossexuais nas ruas das grandes cidades. Calma!!!Se continuar a ler a reportagem você vai ver que tipo de respostas altamente discriminatórias e preconceituosas a população entrevistada deu às perguntas que foram feitas:"As expressões de preconceito foram detectadas na escolha, em diferentes graus de concordância, de frases como: "Deus criou o homem e a mulher com sexos diferentes para que cumpram seu papel e tenham filhos" (92% concordaram), ou "A homossexualidade é um pecado contra as leis de Deus" (66% de concordância) e ainda "A homossexualidade é uma doença que precisa ser tratada" (40% admitiram pensar assim)."Baseado nessas demonstrações de fé e opiniões dos brasileiros que, na cabeça dos governantes petistas certamente colocam em risco a vida dos que optam pelo homossexualismo, a reportagem informa que "a base do Governo no Congresso Nacional está se rearticulando em torno da aprovação do projeto de lei número 122 que transforma a discriminação a homossexuais em crime inafiançável, nos moldes da Lei do Racismo." Esse projeto de lei que está tramitando no Congresso, para quem não conhece, é conhecido também como a lei da "mordaça gay" pois pune com pena de até cinco anos de prisão a simples crítica ao modo de vida homossexual. Ou seja, você vive num país democrático onde pode criticar o governo, a imprensa, a igreja, a fé, Deus, até a própria democracia, mas criticar as práticas de sodomia será crime inafiançável!Curiosamente essa mentira contradiz outra mentira, divulgada por sites do próprio governo como o do programa Brasil Sem Homofobia: a de que entre 10% e 14% da população seria composta de gays e etc. Agora pergunte-se: se 10% da nossa população é gay, como 99% do nosso povo discrimina e tem homofobia?Na verdade, vivemos num país em que as paradas gays contam com cada vez mais adesões populares entusismadas, mais verbas do poder público e mais espaço na mídia. Onde a televisão exalta o jeito gay de ser. Onde o carnaval explora a fundo os prazeres do sexo sem fronteiras. Onde gays e lésbicas são aceitos com naturalidade em todas as rodas sociais. Onde a imprensa tem suas redações repletas de homossexuais, vide os cursos de comunicação social. Onde o Ministério da Saúde do senhor Temporão incluiu nos procedimentos cobertos pelo SUS a cirurgia de mudança de sexo, enquanto os corredores dos hospitais públicos estão cheios de gente mal assistida e não poucos morrem às portas sem assitência; enquanto doenças primárias como a dengue continuam a matar milhares.Vale lembrar que, numa democracia representativa, o governo é exercido pelo povo por meio de seus representantes. Ainda que a pesquisa fosse séria e verdadeira, o que não é, o papel que se esperaria de um governo sério seria a de implementar programas que estivessem em consonância com a vontade popular, e não contra ela....A propósito do termo homofobia o seu significado é: Homofobia = aversão e medo mórbido, irracional, desproporcional, persistente e repugnante da homossexualidade.Pergunte-se agora: à luz dessa pesquisa fraudulenta é possível dizer que existe homofobia no Brasil?Ou existe um programa bem elaborado, repleto de recursos públicos e com o apoio da imprensa que visa implantar uma agenda gay no país?Ao jornal A GAZETA, meus pêsames por ser tão raso e irresponsável ao alardear uma mentira dessas.Leia mais em: http://christianviewer.blogspot.com/

AndersonGonzaga"

Bem sei que tudo podes, e nenhum dos Teus planos pode ser frustrado!"

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Deus é amado por ser Deus! Deus é odiado por ser Deus!

O salmo 2 é de fato espetacular! É incrível como a Palavra de Deus descreve perfeitamente o procedimento e a natureza dos ímpios. E tal descrição, não se aplica apenas para a época da composição deste salmo, mas, aplica-se também aos nossos dias. E não poderia ser diferente, afinal, a Palavra de Deus continua sendo “viva e eficaz” (Hb 4:12) e será assim para sempre!
Ao descrever com precisão a natureza dos ímpios, nos é revelado pela Bíblia que eles (ímpios), querem se ver livres de Deus. Por isso, lemos: “rompamos os seus laços e sacudamos de nós as suas algemas” (Salmo 2:3).
Enquanto tal pensamento é descrito em relação aos ímpios, vejo um problema menor, afinal, se esta é a verdadeira natureza deles, nada mais natural que odeiem a Deus, uma vez que entenderam que Deus controla todas as coisas. Não querem nada com o Deus Altíssimo, senão, que Deus não seja Deus de verdade, mas, que Deus seja um servidor à disposição dos seus maus intentos. Porém, quando vejo tal procedimento no meio evangélico, isto sim, me assusta e muito.
Como é possível que não queiramos que Ele seja exatamente o que Ele é? Alguns evangélicos amam a Deus quando Ele ama, amam a Deus quando Ele abençoa, amam a Deus quando Ele cura... entretanto, não admitem a possibilidade de que este mesmo Deus seja soberano, exercendo todo o seu poder e decida absolutamente todas as coisas sem a permissão de ninguém. Freqüentemente ouço a seguinte frase: “o meu Deus jamais faria isso” ou “o meu Deus jamais me deixaria passar por isso”, ou ainda “vou ordenar e sei que Deus me atenderá”. Agem assim e pensam assim porque não estão lendo na Bíblia quem é Deus e como Ele se revela. E, ao nivelarem Deus, segundo seus próprios pensamentos, criaram um deus imaginário, que se parece com os homens, que sente como os homens e que julga como os homens. Tornaram-se idólatras, mesmo sendo evangélicos. São idólatras evangélicos!
Em Isaías 55:9, lemos a seguinte descrição do próprio Deus: “porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos.”
De fato, o Altíssimo e Soberano Deus, é odiado por ser Deus, ora pelos ímpios fora da igreja, ora por ímpios dentro da própria igreja evangélica. Entretanto, há aqueles que de fato foram alcançados pela graça iluminadora do Espírito Santo, e compreenderam quão maravilhoso é servir ao único e soberano criador e mantenedor de todas as coisas.
O que os ímpios qualificam como laços, o povo de Deus deveria entender como cuidado, e o que os ímpios entendem como algemas, o povo de Deus deveria entender como segurança e zelo.
Não queremos romper os laços e nem quebrar as algemas. Queremos sim, cada vez mais, todo o cuidado e zelo do nosso bom Deus sobre nós.
Enquanto alguns odeiam Deus por Ele ser Deus, temos o privilégio de amá-lo de todo o nosso coração por ser Ele, exatamente quem a Bíblia afirma que Ele é, ou seja, nosso Eterno, Soberano e Todo-Poderoso Deus!

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Lobo em pele de cordeiro


Recentemente, o conhecido Frei Beto, encaminhou ao jornal “Estado de Minas”, um artigo em que repudia os ataques de Israel contra o Hamas. Em seu artigo, qualificou o trágico episódio como holocausto nazista.
Frei Beto é mais um a usar a tática da “guerra assimétrica” e o tal Frei não está sozinho nesta calculada qualificação hitlerista. Curiosamente todos os que acusaram Israel de naszismo são esquerdistas ou terroristas, ou, terroristas e esquerdistas (a ordem dos fatores não altera o produto).
Onde estão as manifestações, as passeatas, os protestos e as cartas abertas em favor dos trezentos mil (isso mesmo trezentos mil) sudaneses massacrados pelo governo teocrático muçulmano em Darfur; pelos atentados torpes cometidos por extremistas islâmicos na India; pelas crianças na escola de Beslam, trucidades pelos separatistas islâmicos chechenos; pelos cristãos empalados em Timor, por milícias islâmicas toleradas pelo governo da Indonésia; monges no Tibet, massacrados por chineses; pelos 700 palestinos mortos por seus irmãos palestinos, quando da fratricida disputa entre Hamas e Fatah; pelas crianças que têm sua infância roubada pelo Hamas, sendo doutrinadas em escolas de ódio, fazendo treinamentos paramilitares e preparando-se para se tornarem homens e mulhares bomba; pela devolução, ao povo palestino, dos US$ 40 milhões de dólares existentes nas Contas da família Arafat na Europa; pelos corpos de crianças judias e israelenses destroçadas em ônibus, escolas, cinemas, pizzarias, etc, não só em Israel, mas ao redor do mundo, em todos esses anos; pelos cidadãos do mundo inteiro explodidos covarde e deliberadamente no WTC, no metrô em Madrid, em Londres, no Egito, na Indonésia, pelo mesmo radicalismo islâmico professado pelo Hamas que usa deliberadamente crianças e mulheres como escudos humanos, pelos extremistas do Hamas, que usam corpos para promover a sua guerra de propaganda;
Gostaria de ver manifestações contra todas estas injustiças praticadas e covardemente escondidas pela grande mídia e acobertadas pelos intelectuais brasileiros.

Não criticam por afinidade ideológica ou por medo de perderem as verbas do governo. São parasitas inescrupulosos os que assim procedem.

Qualificar os ataques de Israel contra o grupo TERRORISTA Hamas de nazismo é faltar com a verdade descaradamente. Tal descaramento é histórico e jamais mudará! Ou o povo acorda e rejeita o engano ou continuará sendo massa de manobra para políticos, intelectuais e religiosos em pele de cordeiro.

domingo, 25 de janeiro de 2009

O que existe de especial no Domingo?


Como o cristão deveria utilizar o domingo? Essa pergunta é importante pelo fato de que muitos em nossos dias não sabem o que fazer no dia de domingo. Alguns acham que não há nada de especial neste dia. Outros acham que o domingo é um dia como outro qualquer. E há aqueles que entendem que o domingo é um dia santo como todos os outros dias deveriam ser santos.
Quantos cristãos verdadeiros gastam o domingo vendo televisão o dia inteiro; outros gastam o domingo dormindo o dia inteiro; outros gastam o domingo inteiro com atividades domésticas ou passeios.
Reconheço a dificuldade dos nossos dias. Quantas famílias só podem estar juntas e desfrutar de alguma atividade em comum no domingo. Entretanto, podemos e devemos observar alguns princípios bíblicos para melhor aproveitar o domingo, segundo a orientação bíblica.
Em primeiro lugar, o domingo deveria ser observado como dia de descanso, um dia para revigorar o corpo. O professor Dr. Verna Wright, da Universidade de Ledds, escreveu um livrete sobre a importância desse dia especial de descanso em cada semana. Do ponto de vista médico, ele observa que as várias funções do corpo, tais como a temperatura e a concentração de substâncias químicas no sangue cumprem um ciclo de 24 horas – o que os médicos chamam de ritmo circadiano; além disso, há perigos mentais e físicos para aqueles que insistem em ignorar o bendito plano de descanso para o homem.
Em segundo lugar, o domingo deveria servir de recordação de que Deus é o Criador e Redentor (Êx. 31:17 – Dt. 5:15). Essa é uma maneira muito eficaz no exercício espiritual que deveria ser praticado por todos os cristãos verdadeiros.
Em terceiro lugar, o domingo deveria servir para renovar a esperança a respeito do céu. Isso se torna mais evidente no Novo Testamento, especialmente no texto de Hebreus 4, fazendo referência a Gênesis 2.2 e ao Salmo 95.11, quando a advertência é lembrada: “Não entrarão no meu descanso” e na continuação do verso 9, o autor fala sobre o repouso para o povo de Deus. Assim, poderíamos ter nosso coração cheio da esperança do lar celestial e como conseqüência haveria menos espaço para as tristezas destes dias maus.
Em quarto e último lugar, o domingo deveria ser um dia de adoração e de fortalecimento da alma. Aqui temos a lembrança de que na antiga aliança, o próprio sábado judaico era também para adoração (Nm. 28:9-10).
Se entendermos corretamente esses princípios, ou seja, descanso, lembrança de Deus como Criador, esperança e adoração, e houver esforço em cumpri-los, estaremos mais próximos de guardar o domingo como um dia especial para a Igreja de Cristo.


Soli Deo Gloria

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Justiça as avessas!

Ex-militante de um grupo chamado PAC (Proletários Armados para o Comunismo), Cesare Battisti foi condenado à prisão perpétua na Itália --em 1978 e 1979-- por quatro homicídios. Ele nega que tenha cometido os assassinatos.

A bizarrice deste episódio demonstra a complacência, simpatia e apóio do governo brasileiro a todo tipo de crime praticado por integrantes de organizações criminosas, quer seja no Brasil ou no mundo.

Quando os boxeadores cubanos apelaram para a "justiça" brasileira que lhes concedesse refúgio contra as injustiças e perseguições cubanas, receberam um sonoro não do ministro da in"justiça" brasileiro. Não poderia ser diferente. Os coitados não eram membros de nenhuma organização criminosa, não cometeram nenhum assassinato, não explodiram nada nem ninguém. Claro que jamais seriam recebidos aqui pela "justiça" brasileira. Cometeram o pecado de não terem nenhum crime no currículo.

Já o queridinho dos partidos da esquerda brasileira, Cesare Battisti, rapidamente se mobilizaram para a proteção do italiano.

Onde estão as organizações em defesa da vida? E o pessoal dos "direitos humanos"? Não há nenhuma nota, nenhum questionamento, absolutamente nada!

Esse é o Brasil para todos (todos os que contribuírem para a esquerda - quer seja fazendo passeatas ou tentando explodir a vida de alguém).

Que Deus nos ajude!

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Uma imagem vale mais que mil palavras!

Ou, no caso específico, a imagem vale mais do que os discursos de esquerda do mundo inteiro. E é claro que vale mais do que a notinha dos PTralhas ou do nosso contador de história Celso Amorim!




domingo, 4 de janeiro de 2009

Cristão Frutífero




Já desfrutamos dos primeiros instantes do novo ano de 2009 e muitas são as expectativas para este ano. Entretanto, como já foi ensinado e relembrado, se não usarmos os recursos espirituais bíblicos, correremos o risco de termos mais um ano em que o crescimento espiritual será irrisório.
O Senhor Jesus Cristo afirmou: “Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva”. Esse fluir é a vida intensa e frutífera do cristão verdadeiro que utiliza todos os recursos espirituais para o crescimento sadio durante todos os dias de sua vida. A Palavra do Senhor é um dos recursos usados pelos cristãos. E o próprio Senhor da Igreja faz uso da Palavra. Quando foi levado pelo Espírito Santo para ser tentado no deserto por Satanás, Jesus o enfrenta usando o livro de Deuteronônimo. Quando precisou socorrer dois discípulos que haviam perdido a esperança no Messias, Jesus os confronta com as Escrituras Sagradas (Lc. 24: 13-35). E, uma grande mudança no discurso do Antigo Testamento para o Novo é também significativo. Enquanto no Antigo Testamento os profetas diziam “assim diz o Senhor”, Jesus inaugura a nova sentença dizendo “está escrito”, autenticando assim, a importância da Revelação Especial que é a Palavra do Senhor.
Para ser um cristão frutífero precisaremos de alimento especial. Precisaremos de santa provisão. A Palavra do Senhor é o nosso celeiro celestial. Na Bíblia, encontraremos orientação para todos os momentos da vida. Seremos ensinados, confrontados, exortados e consolados pelas palavras benditas da Palavra do Senhor. Seremos ensinados até mesmo em como sentir e pensar sobre tudo e sobre todos (Fl. 4: 8-9).
Meditar na Escritura Sagrada é uma necessidade da alma do cristão que deseja ser frutífero na obra do Senhor. Afinal, somos bombardeados a todo instante por aquilo que é contrário aos desígnios de Deus. Nas escolas, nos filmes, nos desenhos, na moda, enfim, cada segmento da sociedade se desenvolve em rebeldia a Deus. O que fazer diante de um mundo que “jaz no maligno” (I João 5:19)? A resposta é: Nutrir-se das palavras benditas da Palavra do Senhor. Amar a Palavra! Submeter-se e andar segundo as Escrituras nos orientam. Agindo assim, teremos sempre o ardor necessário para enfrentar qualquer momento de tribulação, pois, o cristão frutífero é “como árvore plantada junto a corrente de águas, que, no devido tempo, dá o seu fruto, e cuja folhagem não murcha; e tudo quanto ele faz será bem sucedido.” (Salmo 1: 3).

Soli Deo Gloria